Glaucoma – Prevenir é o melhor remédio!

O Glaucoma ainda é a principal causa de cegueira em Portugal e no Mundo.

Trata-se de uma neuropatia ótica degenerativa, que quando não tratada atempadamente provoca danos no nervo ótico e a consequente perda de visão.

Comummente chamado de “ Ladrão silencioso da visão” devido à inexistência de sintomatologia em fases iniciais. A perda de visão acaba por ser um primeiro sinal, que aparece já em formas mais avançadas da doença, existindo uma diminuição do campo visual e por fim, com a evolução natural da doença, uma restrição visual acentuada que pode levar à cegueira.

Estima-se que existam cerca de 200.000 doentes com glaucoma no nosso país, e acredita-se que metade deles não tenham conhecimento da patologia por falta de diagnóstico precoce. Idealmente, a partir dos 45 anos deve fazer-se o rastreio do glaucoma, de modo a avaliar a Tensão Intraocular e a possibilidade de existência de Lesões do Nervo Ótico.

Sabe-se, que pessoas com histórico familiar de glaucoma e/ou hipertensão ocular devem estar particularmente atentos, pois estes são considerados os principais fatores de risco para vir a desenvolver a doença.

Infelizmente, a perda visual causada pelo glaucoma é irreversível, não existe cura até ao momento, no entanto um diagnóstico precoce possibilita um tratamento adequado, permitindo ao doente portador da doença a possibilidade de viver melhor com a mesma.

Deixo- vos aqui  a mensagem da Semana Mundial de Glaucoma deste ano, no âmbito da campanha de diagnóstico precoce: ” Atenção ao ladrão silencioso da visão: se tem mais de 45 anos e nem sabe a sua tensão ocular; se tem familiares com glaucoma- proteja a sua visão “.

A CSSEF acredita que a Prevenção é a melhor forma de resposta a esta e a tantas outras patologias, nesse sentido, e porque estamos na Semana Mundial de Glaucoma, no dia 17 de Março de 2018 junte-se a nós e venha saber como está a saúde dos seus olhos.

Prevenir é imperativo!

 

E a Geração Silenciosa?!

Todos nós já ouvimos muitas vezes falar dos Millennials, neste momento começa-se a ouvir falar da iGen e dos verdadeiros nativos digitais, mas e a geração Silenciosa?!

A geração do 20’s aos 40’s que passou pela Segunda Guerra Mundial, viveu a ditadura em Portugal, ultrapassou três intervenções do FMI, e atualmente está a visualizar o inicio daquela que será possivelmente, a maior revolução tecnológica dos nossos tempos.

Serão eles tão alcançáveis como as atuais gerações? Vislumbram eles da mesma velocidade a que a informação chega e se propaga? São eles as primeiras vitimas das “fake news”? Estarão as novas estratégias de Marketing deslocadas da realidade desta geração, ou nem estarão adequadas com as necessidades que sentem?

Atualmente, residem em Portugal cerca de 1.5 milhões de pessoas desta geração. Viveram para trabalhar, não faziam barulho, não contestavam muito (daí o nome da geração), e focavam-se em produzir para subsistir. Conheciam a compra a granel, o flyer, e a radio era o meio de comunicação principal.

Abismados com o aparecimento da televisão a preto e branco, foram surpreendidos pela televisão a cores, ficaram boquiabertos com o aparecimento do computador e do telemóvel, onde ainda ouvimos muitas vezes, “essas novas tecnologias são para os mais novos”.

Após tanto viverem e experienciar já não se espantam com a inovação, muitas vezes rejeitam as novas técnicas e os novos meios de comunicar, a Internet, o Smartphone, as Redes Socias, ouvir falar em realidade aumentada é uma coisa impossível.

Atualmente, definir uma geração, com 20 anos de diferença é algo completamente impensável, tendo em conta a rapidez das mudanças.

Penso que esta geração pode dividir-se em dois grupos, o grupo que se tenta atualizar e acompanhar as alterações sentidas, e o grupo dos que acham que todas as novas transformações estão a desumanizar, e a retirar capacidades de socialização às gerações atuais e futuras.
Em algumas “áreas” vejo as empresas a adormecer e a deixar de lado esta geração, que tanto trabalhou, tanto passou e tanto poupou. As viagens, a saúde, as comunicações e o bem-estar, são áreas que poderão ajudar, e vingar com esta geração.

Vamos proporcionar a esta geração o serviço que tanto merecem, que muito mais que serem ajudados, querem ser reconhecidos.

 

Pedro Gomes

Gestão de Marketing | Digital Marketing | Optometrista

Optometrista de formação. Abraçou um novo desafio na licenciatura de Gestão de Marketing do IPAM, onde encontrou uma nova paixão.